sábado, 18 de abril de 2020

Adeus ao Acadêmico CECCONI, artista plástico e ilustrador



Adeus a Clauber Campos Cecconi, simplesmente CECCONI

Thiago de Menezes*


A “Academia Brasileira de Belas artes – ABBA” cumpre o doloroso dever de comunicar o falecimento de seu Acadêmico (cadeira de grau nº15, que tem o pintor Pedro Américo como Patrono) Clauber Campos Cecconi, ou somente CECCONI, notável artista plástico, ilustrador e professor de pintura, que tinha quase sessenta anos dedicados ao universo pictórico.


Nascido em 17 de julho de 1939, em Sorocaba, no interior de São Paulo, foi no Rio de Janeiro que despontou para sua vocação maior dentro do cenário artístico e cultural. Premiado em sua afã plástico, participou de muitos eventos e tomou parte em notáveis coletivas como no ano de 1995, em Itajaí - Santa Catarina - Brasil - Salão de Artes Cidade de Itajaí - Casa de Cultura Dide Brandão; destacando-se, ainda: 1999 - Rio de Janeiro - Brasil - Sinfonia da Natureza (1999 : Rio de Janeiro, RJ : Associação Brasileira de Imprensa) - ABI - Associação Brasileira de Imprensa (Rio de Janeiro, RJ); 1999 - Rio de Janeiro - Brasil - Sinfonia da Natureza (1999 : Rio de Janeiro, RJ : Aeroporto Santos Dumont) e 2001 - Curitiba - Paraná - Brasil - Simone Campos, Belmiro Santos, Clauber Cecconi, Giovanni Gargano e Gledson Amorelli (2001 : Curitiba, PR) - Galeria de Artes Um Lugar ao Sol.


Antes de dedicar-se inteiramente à pintura, o desenhista Cecconi já era conhecido pelos seus trabalhos de ilustrações publicitárias e por suas capas de livros. Nos primeiros anos da década de 60, recebera vários prêmios por seus desenhos e pinturas em salões de arte de que participava. Em 1992 ganhou o prêmio de viagem à Europa pela Universidade Estácio de Sá. No velho continente descobriu e iniciou uma nova fase em sua pintura, seus temas prediletos são: feiras de flores parisienses, recantos floridos de Levens e Nice no Sul da França, gondoleiros nos canais de Veneza, ruínas de Roma e os interiores das Catedrais Européias. Sua obra está presente em acervos de colecionadores europeus, americanos, japoneses, argentinos, mais galerias de arte do Rio de Janeiro, Paraná, Florianópolis, Vitória, Recife, entre outros estados.


Pela convivência com um Artista do nível de Cecconi, percebíamos a afinidade que ele tinha com as cores, a sensibilidade quando o pincel manchava a tela em branco e como as coisas iam surgindo do nada, do vazão de sua mente colorida e criativa ...! Era realmente uma pessoa dotada de algo muito singelo e admirável, na acepção dos que conviveram com ele. Creio que uma pessoa quando chega ao grau que Cecconi chegou, ele tornava-se simples, meigo e amigo...!Um valoroso confrade!!



*Thiago de Menezes é jornalista e artista plástico. Diretor Executivo de COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL da “Academia Brasileira de Belas Artes – ABBA” e presidente da “FALASP – Federação das Academias de Letras e Artes do Estado de São Paulo”.

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

Comenda D. Domitila de Castro, a Marquesa de Santos – FALASP / ANCEC




Comenda D. Domitila de Castro, a Marquesa de Santos – FALASP / ANCEC

Símbolo da força da mulher paulista

Outorga Oficial: 25 de novembro de 2019 (21:30 horas), solenidade da ANCEC e FALASP no Teatro Firjan SESI Centro - Av. Graça Aranha, centro do Rio de Janeiro.




Conde Thiago de Menezes – Presidente da FALASP e membro do Instituto Histórico de Petrópolis, RJ

D. Domitila de Castro Canto e Melo (1797 – 1867), pela primeira vez homenageada em honraria, exerceu grande influência durante o reinado do primeiro imperador do Brasil. A FALASP - Federação das Academias de Letras e Artes do Estado de São Paulo faz um papel de recuperação histórica no sentido de tentar preservar nomes influentes para a história sociocultural paulista.

Num passado distante, a maioria dos homens de São Paulo eram bandeirantes, que iam para o sertão caçar índios mais pedras preciosas e quem ficava na cidade eram as mulheres. Então, desde o começo da cidade, as mulheres paulistas eram mais dominantes e as verdadeiras chefes de família. Esse fenômeno não acontecia em outros lugares do Brasil nesses tempos e, por isso, as mulheres paulistas ganharam fama de bravas pelo país afora. Seu primeiro marido foi o Alferes Felício Pinto Coelho de Mendonça, Oficial do 2º Esquadrão do Corpo dos Dragões da Cidade de Vila Rica, atual Ouro Preto, Minas Gerais.


É importante frisar, na análise das biografias da Marquesa de Santos, que não foram os sete anos do relacionamento dela com o Imperador Dom Pedro I que resumem sua vida antes e durante dois impérios. Domitila vinha de uma família influente e bem posicionada, que tinha mais prestígio e linhagem do que dinheiro. Era filha do primeiro Visconde de Castro e neta do Coronel Carlos José Ribas, assim como tetraneta de Simão de Toledo Piza, patriarca de tradicional família em São Paulo. Seu cunhado Boaventura Delfim Pereira, esposo de sua irmã Maria Benedita de Castro Pereira (que também teve um filho com o Imperador Dom Pedro I), era o detentor do título de Barão de Sorocaba.

Oficialmente, Domitila era a Dama Camarista (uma dama da sociedade que tinha acesso ao palácio) da Imperatriz d. Leopoldina, quando mantinha um romance com o Imperador Dom Pedro I. Romance esse, que gerou a filha, Isabel Maria de Alcântara Brasileira (1824 — 1898), Duquesa de Goiás, herdeira reconhecida após a morte de Dom João VI. A relação amorosa é abalada quando, depois da morte da Imperatriz D. Leopoldina, o Imperador Dom Pedro I acertou um segundo casamento, com a Duquesa de Leuchtemberg, D. Amélia Beauharnais. Em 12 de outubro de 1825 foi feita Viscondessa de Santos com grandeza e, em 12 de outubro de 1826, teve o título elevado a Marquesa de Santos. Em 1829, grávida do quinto filho com o imperador, D. Domitila rompe o romance e volta para São Paulo. Casa-se com o Rafael Tobias de Aguiar e morre aos 70 anos (sendo sepultada no cemitério da Consolação, cuja capela original foi construída com doação de dois contos de réis feita pela própria Domitila), depois de ter se tornado grande benemérita das artes e da capital paulista. Num túmulo ao lado, em 1896, foi sepultada D. Maria Isabel de Alcântara Bourbon, a Condessa de Iguaçu, última dos cinco filhos que o Imperador teve com a Marquesa de Santos. Cemitério Municipal era o nome original do Cemitério da Consolação, inaugurado em 1858 como o primeiro cemitério público da cidade.

Recuperar a imagem da Marquesa de Santos, cujo nome real era Dometila de Castro Canto e Mello, porém como a grafia é arcaica, os livros atuais de história preferem chamá-la de Domitila de Castro Canto e Melo, é reviver boa parte da formação da cidade de São Paulo e porque não dizer do Brasil desde a época da independência.



Informações: falasp2004@yahoo.com.br

quinta-feira, 24 de outubro de 2019

Presidente da FALASP lança o livro “Brasileiras em Hollywood” em Mogi Mirim




Escritor lançou livro sobre cinema em Mogi Mirim e destinou totalidade da verba para ajudar a Associação dos Portadores de Deficiências

Evento ocorreu na quarta-feira (23/10), às 20h, no Centro Cultural

Vereador à Câmara Municipal de Mogi Mirim, Alexandre Cintra, patronesse da noite de autógrafos Carla Mazzotine e o escritor Thiago de Menezes

O escritor e jornalista Thiago de Menezes lançou, nesta quarta-feira (23/10) em Mogi Mirim (SP), o livro “Brasileiras em Hollywood”, publicado pela Editora Futurama. A obra que reúne muitas histórias, algumas inéditas, sobre a trajetória artística de mulheres, atrizes e cantoras, que tentaram a carreira na meca mundial do cinema das décadas de 1920 a 1950. Entre elas, são enfocadas Eros Volúsia, Elvira Pagã, Leonora Amar, Luz del Fuego, Rosina Pagã, Lia Torá, Eva Schnoor, Laura Suarez, Alzirinha Camargo, Sylvinha Mello, além de Aurora Miranda, irmã do ‘Mito’ vencedor nas terras do Tio Sam, Carmen Miranda. A obra tem capa de Athila Pereira e apresentação do memorialista e cinéfilo Evanio Alves.
O livro “Brasileiras em Hollywood” de Thiago de Menezes, fotografado pelo conceituado mago das lentes, Nato Campos, referência em Mogi Mirim

Para acompanhar o lançamento do autor, que também é presidente da FALASP – Federação das Academias de Letras e Artes do Estado de São Paulo, houve, além de coquetel que teve como patronesse a sra. Carla Mazzotine (conselheira da Medalha “Presidente João Theodoro”, a mais importante condecoração mogimiriana), expressiva apresentação do músico Pietro Leite. Toda a verba com a venda do livro é repassada para auxiliar a Associação dos Portadores de Deficiências – APDMM, que sofreu um grande incêndio nesse 2019.

Na noite literária beneficente à APAMM, a presença de Regieine Valiatti, com o autor palestrante Thiago de Menezes 

O lançamento, com a presença de autoridades regionais além de pessoas amantes das iniciativas literárias, ocorreu no salão do Centro Cultural de Mogi Mirim, no Centro da cidade, com apoio da Secretaria de Cultura e Turismo.

Alguns momentos do evento:











domingo, 20 de outubro de 2019

Mogi Mirim outorga Medalha ‘João Teodoro’, pelos seus 250 anos de fundação



Mogi Mirim outorga a Medalha ‘João Teodoro’ em sessão solene e grande festa pelos seus 250 anos de fundação

Igreja Matriz de São José, sendo iluminada festivamente para os 250 anos da cidade na Praça Ruy Barbosa, centro de Mogi Mirim

Em comemoração aos 250 anos da fundação de Mogi Mirim, a Câmara Municipal entregou na sexta-feira 18 de outubro, a Medalha “Presidente João Teodoro”, a maior honraria da cidade para personagens ilustres. Foram homenageadas 25 personalidades ilustres da cidade. A condecoração aconteceu a partir das 19h, no tradicional Clube Mogiano, em sessão solene. A honraria foi entregue pela última vez em 2002.

Ao todo, 25 nomes foram escolhidos por um conselho de honraria, representando, cada um, uma década de história do município. O conselho, formado em julho, teve a participação dos 17 vereadores da cidade. A medalha “Presidente João Teodoro” foi criada em 1977 pela Câmara Municipal para homenagear figuras que expressam seu amor e que prestam ou prestaram serviços relevantes para o município, a exemplo do político mogimiriano João Teodoro Xavier de Mattos, presidente da Província de São Paulo de 1872 a 1875, um ilustre filho daquela terra.

A benemérita itapirense Lia Lisi Poli, homenageada com a Medalha João Teodoro, com o conde Thiago de Menezes, presidente da FALASP

Entre os homenageados, estava a sra. Lia Lisi Poli, benemérita que muito incentivou os primeiros eventos da época da criação da FALASP – Federação das Academias de Letras e Artes do Estado de São Paulo, que foi recebida no Clube Mogiano pelo presidente da entidade, o Conde Thiago de Menezes, de antiga família mogimiriana. Dona Lia é viúva do empresário Hélio Moreira Salles, que foi irmão do ex-ministro e Embaixador Walter Moreira Salles (membro da ABBA – Academia Brasileira de Belas Artes, da qual o conde Thiago é Diretor da Área de Imprensa) e filho do banqueiro João Moreira Salles, patriarca de tradicional família mineira. Em Poços de Caldas desde o ano de 1918, além de negócios com café, foram proprietários de uma loja comercial, a Casa Moreira Salles, com sessão bancária, que com o tempo conseguiu a carta de permissão e se transformou em Casa Bancária e, depois no Banco Moreira Salles que deu origem a um dos maiores complexos financeiros do país: o Unibanco.

Carlos Manoel Guardia (junto à vereadora Maria Helena Scudeler de Barros), um guerreio, lutador, bravo empreendedor. Merecedor também da maior honraria de Mogi Mirim: Medalha Presidente João Teodoro Xavier.

Prefeito de Mogi Mirim, Carlos Nelson Bueno, homenageado com a Medalha João Teodoro

Diploma da Medalha João Teodoro conferido ao Prefeito de Mogi Mirim, Carlos Nelson Bueno

A conhecida Dupla sertaneja Mogiano e Mogianinho é homenageada entre o Vereador Alexandre Cintra, Presidente do Conselho da Medalha 'João Teodoro', o Vereador Manoel Palomino, Presidente da Câmara Municipal de Mogi Mirim e Marquinhos Dias, Secretário Municipal de Cultura e Turismo de Mogi Mirim

A homenageada Sra. Lia Lisi Poli, entre o Vereador Marcos Antônio Franco (Marcos Gaúcho) e o sr. Jander Santos 

 O consagrado fotógrafo Nato Campos, quando subiu ao palco para ser condecorado e foi surpreendido com a orquestra Sinfônica Lyra Mojimiriana que o fez uma surpresa, executando "We Will Rock You", do Queen, quando o público marcou a música com palmas, ficando todos muito emocionados! Na foto, Nato Campos, a Conselheira da Medalha 'João Teodoro' Carla Mazotine e o Maestro Carlos Lima

Durante a solenidade no Clube Mogiano: D. Isolete Antunes Mazzotini e D. Maria do Carmo Canto de Campos, entre o homenageado Nato Campos, reencontro de antigas famílias tradicionais mogimirianas

Aspecto de parte do jantar comemorativo no Clube Mogiano, vendo a primeira mesa pilotada por Wilminha Dellafina Scian, na segunda a equipe do Jornal O POPULAR, onde se destacava a presença do historiador Nelson Patelli e a terceira mesa, integrantes do corpo diretivo das Faculdades Maria Imaculada e Santa Lúcia 

Memória: Foto do 1º Conselho de Honraria da Medalha João Teodoro em 1977 - Arthur Azevedo, Alfredo Milano, José Silveira Pedreira, Odilon da Costa Manso,prof Quintino, Ademar de Barros, Ricardo Brandão,  Antônio Carlos de Oliveira, prof. Noberto Marques e Jorge França.



Vereador BETO DO SOCIAL é homenageado pela FALASP




Beto do Social, vereador de São Paulo, é reconhecido pela FALASP


Vereador Beto do Social e Conde Thiago de Menezes


No ano comemorativo do 23º aniversário de fundação da conhecida SERVIDONE Assessoria Empresarial e Consultoria Contábil, a Federação das Academias de Letras e Artes do Estado de São Paulo - FALASP, em consonância com suas Ordens do Mérito, em evento fechado com jantar de confraternização na capital paulista ocorrido no último dia 11 de setembro, condecorou expressivas personalidades com a Medalha de Mérito Cultural “Anita Garibaldi”, oficializada e cadastrada no Exército Brasileiro em homenagem à patrona cívica da entidade.

Comendador Dr. Servidone, Beto do Social e Conde Thiago de Menezes

Na ocasião, por indicação exclusiva do presidente da FALASP, o conde Thiago de Menezes, onde em parte cívica e cultural, em regozijo à historicidade, identidade e reverência, foi homenageado o vereador à Câmara Municipal de São Paulo, Alberto Luiz da Silva, conhecido como Beto do Social, pelo ao sério trabalho que desenvolve há 40 anos à comunidade paulistana.




Beto do Social sempre dedicou sua vida a ajudar o próximo, preocupando-se com o bem-estar da comunidade, da mulher, dos idosos e das crianças. Trabalhou desde o começo de sua carreira para ajudar a quem mais precisasse, buscando atender suas necessidades. Chegou a São Paulo em 1975, e vendo as pessoas que lá moravam, migrantes como ele, entendeu a alma da cidade e de seus habitantes.
Ao evento compareceram diversas autoridades diplomáticas, militares e eclesiásticas, todas personalidades parceiras de momentos artísticos e sociais, constantemente organizados pela direção da FALASP.




A SERVIDONE, catalizadora das homenagens, foi fundada em 1996, na capital do Estado de São Paulo, com filiais, entre outras, em Goiânia-GO, Belo Horizonte-MG, Recife-PE e Miami-FL-USA. Já a FALASP, cuja sede atual fica em Águas de Lindóia (SP), é presidida pelo conde Thiago de Menezes, escritor e jornalista que é Adido de Imprensa da ACONBRAS – Associação dos Cônsules no Brasil, sediada em São Paulo e Diretor de Área de Imprensa da “Academia Brasileira de Belas Artes – ABBA” (Órgão Consultivo do Governo Federal), sediada no Rio de Janeiro.

Vereador Beto do Social, entre outros, com o Vereador à Câmara Municipal de Mogi Mirim André Albejante Mazon e Marcelo Tito dos Santos, da Câmara de Comércio Brasil Hawai 

 Vereador Beto do Social com o Cônsul Honorário da República de Chipre em São Paulo, Dr. César Augusto de Aguiar

O tetracampeão mundial de Jiu-jitsu Anderson Rugel Vaz (Anderson Negrão), Comendador Dr. Marcelo Servidone, a Cônsul Geral Honorária de Malta Fiorella Baggio e o Vereador Beto do Social 

Diploma em placa de aço escovado da condecoração da FALASP oferecida ao Vereador Beto do Social, por seu trabalho humanitário, pelo presidente da entidade, o Conde Thiago de Menezes, Comendador Grão Colar e Grão Mestre das Ordens Honoríficas do Sodalício Acadêmico. 



quinta-feira, 26 de setembro de 2019

FALASP nos 40 anos do Coral "Cidade de Itapira"



Presidente da FALASP é homenageado nos 40 anos do Coral “Cidade de Itapira”


Na sexta-feira, 20 de setembro, o Coral “Cidade de Itapira” realizou seu Concerto comemorativo aos 40 anos de fundação, no edifício sede do Circolo Italo-Brasiliano XV de Novembro di Itapira.

Foram homenageadas dez personalidades que contribuíram para a história do conhecido Coral e o desenvolvimento do mesmo à nível regional. Receberam o Diploma de Honra: Carlos Alberto Sartori, padre Tarlei Navarro, Antônio Carlos Martins (in memoriam), Estercita Rogatto, Vanda da Silveira Moraes Soriane, Conde Thiago de Menezes (Presidente da FALASP – Federação das Academias de Letras e Artes do Estado de São Paulo), José Maria Marconi (Zezo), Aline Prado, José Antonio Secolin e Arlindo Bellini.


O Conde Thiago, ressaltou que antes mesmo da criação da FALASP, o Coral começou se apresentando nas reuniões iniciais de eventos promovidos por grupos de intelectuais em Itapira, pela “Academia Itapirense de Letras e Artes – AILA”. Já durante os 16 anos de atuação da FALASP – Federação das Academias de Letras e Artes do Estado de São Paulo, parceira do ICFU e da ANCEC, o Coral “Cidade de Itapira” se apresentou em outras cidades, como na Estância de Amparo e na cidade sede da entidade, a Estância de Águas de Lindóia, SP, em eventos promovidos pela FALASP.


No final das apresentações, foi homenageada a maestrina Marcela Cristina Pereira, pelos 21 anos de regência do grupo, que ficou bastante emocionada, já que foi uma surpresa. Em seguida, o Coral recebeu uma homenagem do Circolo através de seu presidente Carlinhos Sartori (também vereador à Câmara Municipal de Itapira) e de sua diretoria.


No final os homenageados coral o bolo comemorativo aos 40 anos “Você faz parte dessa história”. Foi uma noite emocionante e muito prestigiada!


O Evento teve a cobertura dos fotógrafos Tiago Pompeu e Léo Santos. O Coral Cidade de Itapira, possui convênio com a Prefeitura Municipal de Itapira, através de sua Secretaria de Cultura e Turismo, e conta com apoio cultural das empresas Vitória Presentes, Jet Itapira, Antonelli Supermercados, Donatti Elétrica & Hidráulica.



segunda-feira, 9 de setembro de 2019

FALASP SAÚDA A ‘SERVIDONE’



FALASP SAÚDA A ‘SERVIDONE’


No ano comemorativo do 23º aniversário de fundação da SERVIDONE Assessoria Empresarial e Consultoria Contábil, a Federação das Academias de Letras e Artes do Estado de São Paulo - FALASP, em consonância com suas Ordens do Mérito, convida para evento fechado, com jantar de confraternização na capital paulista no dia 11 de setembro, onde em parte cívica e cultural, em regozijo à historicidade, identidade e reverência, será outorgado, a personalidades parceiras de momentos artísticos e sociais, a Medalha de Mérito Cultural “Anita Garibaldi”, oficializada e cadastrada no Exército Brasileiro em homenagem à patrona cívica da entidade.

A SERVIDONE foi fundada em 1996, na capital do Estado de São Paulo, com filiais, entre outras, em Goiânia-GO, Belo Horizonte-MG, Recife-PE e Miami-FL-USA. Já a FALASP, cuja sede atual fica em Águas de Lindóia (SP), é presidida pelo conde Thiago de Menezes, escritor e jornalista que é Adido de Imprensa da ACONBRAS – Associação dos Cônsules no Brasil, sediada em São Paulo e Diretor de Área de Imprensa da “Academia Brasileira de Belas Artes – ABBA” (Órgão Consultivo do Governo Federal), sediada no Rio de Janeiro.

( Info: falasp2004@yahoo.com.br )